Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 22/NOV/2017

  • Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Pernambuco Governo vai criar cinemateca para preservar memória e dar visibilidade ao cinema pernambucano Acervo poderá ser acessado por estudantes, professores e pesquisadores

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/10/2017 12:10 Atualizado em: 30/10/2017 19:01

Espaço vai auxiliar na preservação da história do cinema pernambucano, que tem entre clássicos Aitaré da Praia (1925). Foto: Cinemateca Brasileira/Divulgação
Espaço vai auxiliar na preservação da história do cinema pernambucano, que tem entre clássicos Aitaré da Praia (1925). Foto: Cinemateca Brasileira/Divulgação


O projeto da Cinemateca pública Pernambucana vai sair do papel. Com investimentos do Ministério da Educação e parceria entre a TV Escola, a Fundação Joaquim Nabuco e a Universidade Federal de Pernambuco, o equipamento cultural tem o objetivo de criar um acervo com o máximo de informações sobre a produção audiovisual pernambucana. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Será criada uma unidade da Coordenadoria do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco, que funcionará em Casa Forte. A previsão é abrir ao público no início de 2018. A cinemateca será coordenada pela gestora do Cinema da Fundaj, a jornalista e fotógrafa Ana Farache, e pelo professor Paulo Cunha, da UFPE. "Estamos em fase de implantação e criação da equipe. Teremos um sistema de preservação ativa. Não é só catalogar, mas também promover exibições periódicas, debates e difundir o audiovisual do estado", explica a coordenadora.

Segundo Ana, a ideia é criar uma plataforma online de acesso aos filmes, de acordo com o contrato estabelecido com cada realizador que depositar sua obra no acervo. "Vamos trabalhar primeiro com a matriz digital, catalogando as produções de acordo com tema, filme, diretores e criar uma busca ampla com vários caminhos", aponta. O investimento inicial do projeto é de R$ 1 milhão.

"Pernambuco é referência na produção cinematográfica desde o século passado, sendo protagonista de diversos movimentos como o Ciclo do Recife e o Super-8. Temos que preservar essa memória, aliada ao compromisso de fortalecer a cadeia produtiva do audiovisual em Pernambuco e ser um centro avançado de estudos e pesquisas no Nordeste, contribuindo para a formação cultural de estudantes e professores", afirmou o ministro da Educação, Mendonça Filho, através de assessoria de imprensa.  

A cinemateca também estará aberta para receber conteúdos extras das produções, como roteiros e cartazes. O acervo poderá ser acessado por estudantes, professores e pesquisadores. Os interessados em enviar material podem encaminhar propostas e sugestões através do e-mail cinematecapernambucana@gmail.com. Haverá ainda a criação de um cronograma para recuperação de trabalhos raros e peças esquecidas, além de um espaço depositário para filmes em lata, adequado para a conservação dos rolos. A Cinemateca Brasileira está dando suporte técnico ao projeto. 

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]