Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 25/ABR/2017
 
cheia

  • Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Dança Dançarina e coreógrafa norte-americana Trisha Brown morre aos 80 anos A morte ocorreu no último sábado, segundo divulgou a companhia de dança que leva o nome da artista

Por: Estado de Minas

Publicado em: 20/03/2017 15:33 Atualizado em: 20/03/2017 17:25

Trisha Brown enfrentou longa batalha contra uma doença não especificada. Foto: Facebook/Reprodução
Trisha Brown enfrentou longa batalha contra uma doença não especificada. Foto: Facebook/Reprodução


A Trisha Brown Dance Company anunciou nesta segunda-feira (20) que a coreógrafa e dançarina norte-americana Trisha Brown faleceu aos 80 anos, no último sábado (18), depois de uma longa batalha contra uma doença não especificada. A morte ocorreu em San Antonio, no Texas, Estados Unidos. Ela deixa um filho, Adam Brown, e quatro netos. Seu marido, o artista Burt Barr, morreu em 7 de novembro de 2016.

Uma das mais aclamadas e influentes dançarinas de seu tempo, Trisha foi uma das pioneiras da dança contemporânea. Ela nasceu em 1936 em Aberdeen, no estado de Washington. Da infância e adolescência no campo, ela se mudou para Nova York em 1961 para estudar. Expandindo o que se chamava de "dança" naquele momento, ela buscou no cotidiano movimentos naturais que pudessem compor uma coreografia.

Durante sua carreira, pesquisou o experimentalismo na dança. Criou mais de 100 coreografias, seis óperas e projetos gráficos, cujos desenhos ganharam reconhecimento em museus e galerias. Em 1970, Trisha criou um movimento de linguagem abstrata apresentado em galerias de arte, museus e exposições internacionais. Com isso, ela estabeleceu um modelo exemplar para introduzir a coreografia no cenário dos museus. Seus métodos envolviam treinos que são um de seus maiores legados para os dançarinos. Em um dos trabalhos, Equipment dances, explorou a gravidade, a percepção e o espaço urbano.

Em 2008, Trisha Brown anunciou sua aposentadoria, depois de criar e apresentar I love my robots, uma colaboração com Kejiro Okazaki e Laurie Anderson. Seus últimos trabalhos incluem uma ópera de Jean-Philippe Rameau, bem como o dueto masculino Rogues (2011). I'm going to toss my arms: If you catch then they're yours (2011) foi o último trabalho coreografado por Brown.

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.










SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]