Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 24/JUL/2017

  • Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Teatro Martelada, novo espetáculo de Claudio Ferrário, estreia nesta quarta Ator e dramaturgo se inspirou em história contada por Mestre Martelo, de Condado, para escrever o texto do monólogo

Por: Isabelle Barros

Publicado em: 11/01/2017 09:41 Atualizado em: 11/01/2017 08:49

A ida de um velho mestre de cavalo marinho ao inferno é o tema da montagem, dirigida por Dea Ferraz. Crédito: Nilton Pereira/Divulgação
A ida de um velho mestre de cavalo marinho ao inferno é o tema da montagem, dirigida por Dea Ferraz. Crédito: Nilton Pereira/Divulgação

Mestre Martelo, homem forte do cavalo marinho de Condado, na Mata Norte, disse a um grupo de pessoas, entre elas Cláudio Ferrário, que visitou o inferno e voltou para contar. A história - seja ela de trancoso ou não - fascinou o ator a ponto de torná-la matéria-prima para o monólogo Martelada, cuja estreia acontece amanhã, às 20h, no Teatro Arraial Ariano Suassuna. A montagem também faz parte da programação do Janeiro de Grandes Espetáculos, com apresentações marcadas para os próximos dias 18 e 25 deste mês.

De acordo com o ator, Martelada é o segundo texto escrito por ele de uma trilogia voltada para os mistérios da vida. O primeiro foi A invenção da palavra, cuja estreia aconteceu em 2015 e no qual dividiu palco com a filha, Olga Ferrário. “Queria fazer esse espetáculo com ela também, mas como minha parceira engravidou, precisamos esperar um pouco e tentei pensar em algo para fazer sozinho. Pretendo voltar a contracenar com Olga no último espetáculo dessa trilogia O último encontro do poeta com sua alma. A dramaturgia já está pronta”.

A direção da montagem ficou a cargo de Dea Ferraz, documentarista e realizadora do inquietante curta Câmara de espelhos, que traz à tona o pensamento masculino a respeito das mulheres. Estreante em teatro, Dea aceitou o convite de Ferrário por ter a ver com a gênese do espetáculo. Ela filmou originalmente o depoimento do Mestre Martelo para seu filme Mateus, do qual o ator também participa, junto com a atriz Odília Nunes. “Ela é uma documentarista, mas acha que atores e atrizes têm uma coragem absurda para se desnudar. Para mim, história que ele conta, da ida ao inferno, não caberia dentro do filme. A arquitetura do inferno, o que ele viu, como ele saiu de lá, é dele, mas fizemos modificações para o público visualizar melhor como é esse universo. A história dele mesmo fica para os momentos finais”, afirma Ferrário.

Esta é a segunda experiência de Cláudio com um monólogo. A primeira foi Diário de um louco, texto de Gógol montado ainda nos anos 80 com o tcheco, já falecido, Zdenek Hampl. “Mesmo assim, naquela época havia um músico comigo em cena, Paulo Daniel. Agora não. É incrível como é diferente. É uma dureza, uma solidão danada, mas ao menos estou mais apropriado do texto, por tê-lo escrito”.

Para o ator, com 42 anos de carreira, um dos maiores prazeres neste espetáculo é ser o senhor de sua produção. “Você não sabe como isso me alegra. Precisava fazer isso mesmo sem lei de incentivo, em um país que está dando marcha a ré. Temos de ocupar os teatros, ocupar a cabeça. Quem faz teatro não pode parar de lutar pelo público, mesmo recebendo leis de incentivo. As pessoas estão mais isoladas e temerosas em deixar suas casas. O teatro não existe sem público”.

MAMMA MIA
O musical Mamma Mia, encenado pelo Grupo Vida, volta a se apresentar também nesta quarta, às 20h, no Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu, Boa Viagem). O espetáculo é uma versão do filme homônimo, estrelado por Meryl Streep em 2008, e traz a história de Sophie, garota que está prestes a se casar, mas não conhece o pai. Ela lê o diário da mãe e convida para o casamento três homens que podem ajudar a solucionar esse mistério. A produção, só com músicas do grupo sueco ABBA, tem 70 pessoas envolvidas no total e o ingresso custa R$ 30 (preço único). Informações: 3355-9821.

SERVIÇO
Martelada, monólogo com Claudio Ferrário
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna - Rua da Aurora, 463, Boa Vista
Quando: 11, 18 e 25 de janeiro, às 20h
Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia)
Informações: 3184-3057

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]