• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Liberdade Prefeitura de Paris permite que ciclistas furem sinal vermelho Bikes vão poder ultrapassar alguns semáforos fechados após testes mostrarem que isso chega a diminuir número de acidentes

Por: Mike Torres - Diario de Pernambuco

Publicado em: 22/07/2015 10:57 Atualizado em:

Casal anda de bicicleta por Paris. Agora eles poderão "furar" semáforos vermelhos pela cidade para melhorar o trânsito. (Foto: Domínio público)
Casal anda de bicicleta por Paris. Agora eles poderão "furar" semáforos vermelhos pela cidade para melhorar o trânsito. (Foto: Domínio público)

A prefeitura de Paris anunciou, no início de julho, que ciclistas terão permissão para "furar"alguns semáforos vermelhos pela cidade. A medida tomada na capital francesa objetiva atrair mais pessoas a usar bicicletas como meio de tranporte diário.

Pela cidade, em vários cruzamentos estão sendo instalados sinais diferentes para carros e bicicletas. Durante o tempo em que os carros estiverem parados, será permitido aos ciclistas que virem à direita ou sigam em frente.

O anúncio do gabinete da prefeita Anne Hidalgo informou que as novas regras devem entrar em vigor até o final deste mês, acrescentando que elas irão "ajudar a melhorar o fluxo de tráfego de ciclistas".

Um estudo realizado pela prefeitura em 2012 mostrou que dar maior liberdade ao trânsito de bicicletas reduz as chances de acidentes. A luta de Paris contra a poluição ambiental já dura algum tempo e a decisão de Hidalgo pode colaborar na causa. O gabinete da prefeita, inclusive, faz questão de ter mais pessoas andando de bicicleta em seu quadro funcional.

Anne Hidalgo disse que o esquema proposto começaria nos fins de semana, mas que poderia ser rapidamente estendido para o resto da semana. Ela também afirmou que a quantidade de ciclovias deve dobrar até 2020 em Paris, como parte de um plano de desenvolvimento de custo de 100 milhões de euros.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas