BikePE Ciclovia da praia do Paiva oferece segurança e belas paisagens São sete quilômetros protegidos do trânsito de automóveis e a poucos metros da praia

Por: Myrela Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/01/2014 16:57 Atualizado em:

A ciclovia do Paiva foi inaugurada em 2009 e vem conquistando cada vez mais adeptos. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
A ciclovia do Paiva foi inaugurada em 2009 e vem conquistando cada vez mais adeptos. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

É muito comum nos finais de semana centenas de pessoas indo praticar esporte ou simplesmente ter um momento de lazer com a família na ciclovia da Reserva do Paiva. O lugar, que fica a 15 km da praia de Boa Viagem, é totalmente cercado pela natureza e conta com um sistema de segurança que vem atraindo cada vez mais pessoas. São sete quilômetros de ciclovia, de um total 50 km que serão expandidas ao longo dos anos.

A ciclovia foi inaugurada há três anos e meio, em julho de 2010, e pensada para que todo o bairro planejado possa ter, de fato, uma boa mobilidade. O modelo utilizado democratiza o acesso de automóveis, pedestres e ciclistas e já é consolidado nas principais cidades do mundo. Cada rua recebeu um planejamento para a ciclovia – e não ciclofaixa, como muitos pensam, já que é protegida e está num nível diferente dos veículos. O modelo já pode ser visto na Via Parque, a principal via do bairro, e liga todo o empreendimento.


Para chegar lá de carro é preciso pagar um pedágio na ponte que fica sobre o rio Jaboatão. Em dias de semana um carro de passeio paga R$ 4,10. Nos fins de semana o valor sobe para R$ 6,60. O pedágio é pago apenas na ida. Quem for de bike, não precisa desembolsar nada.  A ponte apresenta 320 metros de extensão, ligando Barra de Jangada ao Cabo de Santo Agostinho, duas faixas de rodagem, uma passarela para pedestres, ciclovia e duas praças de convívio, de onde se pode ver a desembocadura do rio no oceano. Um visual bem bonito que faz valer a pena cruzar a ponte.

Não é permitido o estacionamento de carros ao longo da Via Parque. A solução é usar as ruas transversais, que dão acesso à praia. Lembrando que nenhum carro pode chegar até a faixa da areia, então é preciso estacionar alguns metros antes. A praia é praticamente deserta e não há comércio.

Para chegar até o Paiva de carro é necessário pagar pedágio. Ciclistas não pagam a taxa. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
Para chegar até o Paiva de carro é necessário pagar pedágio. Ciclistas não pagam a taxa. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Nas áreas comuns da Reserva do Paiva ainda não há bicicletários, como já existem nos residenciais do bairro. No entanto, isso é um projeto que será implantado ainda este ano com a abertura de alguns empreendimentos, como o Parque do Paiva e o Empório Gourmet. Outra coisa que o ciclista tem que se atentar é na questão da hidratação. Não existem vendedores, muito menos comércio na área, então é preciso levar sua própria garrafinha com água e passar bastante protetor solar, pois existem muitas áreas que não são arborizadas.

O diretor-geral Odebrecht Realizações Imobiliárias,  empresa que construiu o bairro planejado,  Luís Henrique Oliveira, informa que com a expansão da Reserva do Paiva a ciclovia também será beneficiada. “A previsão é que em seis meses, e com os novos empreendimentos que chegarão ao bairro, ir estendendo cada vez mais”, contou, acrescentando que até 15% da garagem de todos os imóveis da Reserva do Paiva, para o estacionamento de bicicletas.

Segurança

De acordo com sistema viário do Paiva, não existe nenhuma via tão monitorada como esta: são 20 câmeras ao longa da estrada e mais duas em cada praça de pedágio, totalizando 24 câmeras. À noite toda a Via Parque, incluindo a ciclovia, os canteiros e o passeio são iluminados e com monitoramento por câmeras 24 horas.  

Todo o percurso da ciclovia foi realizado por especialistas em mobilidade urbana que analisaram os aclives, rampas e raios de curva na tentativa de evitar acidentes. “Sempre que eu posso venho aqui, principalmente por conta da segurança. Se todas as ciclovias do Recife fossem assim seria uma delícia”, disse o dentista e praticante do ciclismo, João Cajueiro.

O dentista e praticante do ciclismo João Cajueiro destaca a segurança do local. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
O dentista e praticante do ciclismo João Cajueiro destaca a segurança do local. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Conexão entre ciclovias sai até março
Uma das dificuldades que os ciclistas sentem é que ainda não existe uma conexão entre a ciclovia da Zona Sul e a do Paiva. O diretor Luís Henrique Oliveira explica que  há  uma discussão a curto prazo com a prefeitura de Jaboatão dos Guararapes para a construção de uma conexão desde o Pina até a da Reserva do Paiva. A iniciativa faz parte do projeto do Parque Linear, que visa a ampliação de 500 metros da ciclovia que interligará as praias de Piedade, Candeias e Barra de Jangada ao limite com o Recife. '”É preciso discutir a mobilidade urbana. Quando é criada a estrutura as pessoas começam a aderir”, diz Luis Henrique. A previsão é tudo ficar pronto até o final de fevereiro.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas