BikePE Cicloturismo: como se preparar para percorrer longas distâncias

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 07/01/2014 17:03 Atualizado em: 17/01/2014 14:47

O empresário Anderson Lopes está se preparando para pedalar até a Bahia. Foto: Blenda Souto Maior/ DP/ D.A Press
O empresário Anderson Lopes está se preparando para pedalar até a Bahia. Foto: Blenda Souto Maior/ DP/ D.A Press

No início do mês de férias muitas pessoas se preparam para viajar. E uma alternativa para os adeptos da bike é o cicloturismo. Percorrer muitos quilômetros pedalando pode parecer uma aventura, mas há quem pegue a estrada a cada quinze dias. E para garantir o conforto e a segurança, o ciclista não pode abrir mão dos cuidados específicos que esse tipo de viagem exige.

O empresário Anderson Lopes, 30 anos, se prepara para seu próximo destino, a Bahia. Isso demanda uma organização maior, já que serão percorridos 600km pelo litoral nordestino. Ele conta que serão mais de dez dias na estrada. “Costumo fazer viagens mais curtas, de 100 a 200km, geralmente a cada 15 dias, e que duram um fim de semana. Já para esta viagem, que será mais longa, tenho pesquisado bastante, converso sempre com outros adeptos do cicloturismo e leio vários blogs. Também estou pesquisando as pousadas que devo ficar durante a viagem e quanto tempo vou passar em cada praia”, diz.

Além de se preocupar com o roteiro, Anderson procura preparar seu corpo, o que é essencial para percorrer longos percusos. “Estou sempre em movimento. A musculação e os treinos funcionais têm me ajudado. É importante fortalecer os músculos que serão mais exigidos. Além disso, protejo bem a pele com camisas, bonés e filtro solar. Ainda é indicado fazer aquecimento no início e alongamento no fim da pedalada e nunca esquecer a hidratação. Durante a viagem é necessário ficar atento aos sinais de cansaço e até parar antes de agravar o desgaste para não ficar pelo caminho”, aconselha.

Uma dica que o empresário deixa para quem pretende se aventurar é praticar o Bike Fit, técnica para ajustar a bicicleta ao corpo que tem o objetivo de melhorar a performance e aumentar o aproveitamento do ciclista. “É muito importante para minimizar o risco de lesões e dores durante a viagem, além de melhorar o desempenho em cima da bicicleta. Hoje me sinto mais confortável na minha”, garante.

Viagens de longas distância devem ser bem planejadas, incluindo períodos de descanso. Foto: Blenda Souto Maior/ DP/ D.A Press
Viagens de longas distância devem ser bem planejadas, incluindo períodos de descanso. Foto: Blenda Souto Maior/ DP/ D.A Press

Riscos - Por se tratar de longos percusos, alguns riscos estão envolvidos no cicloturismo. Mas as quedas, os acidentes e até mesmo assaltos podem ser evitados com uma boa preparação. “É muito importante ter conhecimento sobre o seu corpo, saber sua resistência, para não ficar na rua e terminar a viagem antes do previsto. Evitar excesso de velocidade, optar por vias alternativas com acostamento, sinalizar, tanto para pedestres, como para ciclistas, e dar notícias, seja por fotos em redes sociais ou postagens em blogs são algumas recomendações”, enumera Anderson Lopes.

Na bagagem, o ideal é reduzir o máximo de peso possível e priorizar objetos de higiene pessoal. Material de primeiros socorros, ferramentas, alimentação e água também são importantes. Levar os pertences em mochilas não é muito indicado, pois pode afetar a coluna e prejudicar o equilíbrio. O uso do alforje, bolsa que fica sobre o bagageiro, é mais apropriado. Outros acessórios que podem ajudar são a bolsa de guidom e selim.

Quanto a bike, existem aquelas que são específicas para a modalidade, mas independentemente do tipo, fazer revisão antes de pegar a estrada é indispensável para garantir a segurança e evitar problemas durante a viagem. “Antônio Olinto, o cicloturista que deu a volta ao mundo, fala que a melhor bicicleta para cicloturismo pode ser aquela que você tem em casa e o importante é se adaptar a situação sem correr riscos. Mas mesmo que a bicicleta tenha acabado de sair da loja, é importante passar pela mão de um profissional de confiança. Não fazer a revisão, além de arriscar a viagem, você arrisca a própria vida”, afirma o empresário.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas