• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Saúde Pedalar traz benefícios a saúde de recifenses Incluir o pedal na rotina pode ajudar na perda de peso e no controle de problemas de saúde

Publicado em: 30/08/2013 09:39 Atualizado em: 30/08/2013 09:47

Oreco Félix credita os ganhos na saúde ao costume de andar de de bicicleta. Foto: Arthur de Souza/Esp.DP/D.A Press (Arthur de Souza/Esp.DP/D.A Press)
Oreco Félix credita os ganhos na saúde ao costume de andar de de bicicleta. Foto: Arthur de Souza/Esp.DP/D.A Press
Nunca se falou tanto sobre os benefícios que a bicicleta pode trazer à saúde. A prática, que é uma combinação de lazer, atividade física e mobilidade, tem sido citada como solução para quem busca ter mais qualidade de vida nas grandes cidades. Empolgados com a ideia, muitos tiraram a bicicleta da garagem mas não conseguiram incluir a prática efetivamente na rotina. Aos que levaram a animação inicial adiante, o saldo é positivo: da perda de peso à diminuição do stress, andar de bicicleta pode melhorar a vida e a saúde de pessoas de todas as idades.

O mecânico Oreco Félix de Oliveira, 53, começou a pedalar há pouco tempo. Cinco meses atrás, um colega da oficina onde trabalha sugeriu que ele começasse a pedalar. Oreco costumava reclamar constantemente de problemas de saúde. "Eu não estava bem, tinha problema de circulação, problema de pressão alta, dor de cabeça", relata. Ele aceitou a sugestão e voltou a andar de bicicleta, atividade que não fazia desde a infância. "Eu sempre andava de carro". Um dia, pedalando pela Zona Norte do Recife, em Casa Amarela, Oreco conheceu o grupo de pedal Amigos para Sempre (APS), que passou a acompanhar. "A princípio eu cansava rapidamente, mas depois fui ganhando resistência, ritmo. Eles me ajudaram muito, tive muito apoio. Passei a fazer trilhas e tem sido muito bom pra mim", conta.

 Ele credita ao uso da bicicleta uma melhoria significativa em como se sente. "Comecei a andar porque meu amigo falou que iria melhorar minha saúde. Hoje eu pedalo sexta e domingo com grupos, mas também já deixei o carro de lado, venho até para o trabalho de bicicleta". Oreco relata que desde que começou o exerício, a dor de cabeça que sentia há cerca de quatro anos foi sumindo, assim com o problema de pressão alta. "Também me sentia meio agitado, hoje tô tranquilo. Meu humor melhorou". Aos 53, o mecânico também conquistou mudanças visíveis no corpo: com iniciais 81kh, hoje ele pesa 66kg. "Me encontrei na bicicleta". Pedalar ajuda a controlar a ansiedade, queimar calorias e a tonificação de músculos.

A professora do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Fabiana Gouveia explica que mesmo os mais empolgados com o início da prática não devem esquecer dos cuidados. "Quem não tem o costume de praticar nenhum exercício tem que se cuidar para não exagerar na intensidade. Por exemplo, quem vai pedalar domingo na ciclofaixa sem ter preparo físico pode sentir desconforto cardíaco ou muscular. É melhor começar moderadamente, em um ritmo recreativo". Ela ressalta que começar a adotar um exerício é ótimo, mas atenção é imprescindível para que o efeito não seja o reverso.

"Vejo muita gente com roupa inapropriada, no sol, sem equipamentos de segurança. Temos que lembrar de proteger a pele, trafegar com segurança, num ritmo bom pra cada um". Após a decisão de sair do sedentarismo, Fabiana sugere a consulta com profissionais especializados. "Para perder peso é recomendado fazer uma avaliação física, se consultar com nutricionista, cardiologista e professor de educação física. Dessa forma você descobre a que tipo de exercício está apto e a intensidade e duração pra que ele tenha o efeito desejado".

Aos que conseguem incluir exercício regular na rotina, os efeitos são positivos. "Há a melhora no condicionamento físico, melhora significativa na capacidade respiratória, disposição. Até mesmo quem faz exercício de vez em quando pode perceber que o humor melhora, o sono melhora. Fora a liberação de endorfina, que é um incremento", diz Fabiana. Para Oreco, não há dúvidas quanto aos benefícios do pedal."Foi meu hospital de cura, mesmo. Estou muito melhor. Pretendo continuar pedalando, me encantei com a bicicleta. Pra estar mais seguro, falta só ter mais respeito dos motoristas, que parecem não ter muita consciência".

TAGS:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas