• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
No Sertão Petrolina, pioneira em Pernambuco no aluguel de bicicletas Município do semiárido pernambucano possui o sistema desde 2011, mas atualmente ele está desativado para reformulações

Por: Laís Araújo - Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/06/2013 11:04 Atualizado em: 10/06/2013 11:55

Crédito: A. Júnior/Flickr/Divulgação
Crédito: A. Júnior/Flickr/Divulgação

O sistema de aluguel de bicicletas está em plena expansão no Recife. A cidade presencia a construção de novas estações do projeto que, em época de intermináveis engarrafamentos, aparece como uma opção sustentável e inteligente de deslocamento urbano. Aos domingos, quando a ciclofaixa reina e as opções de aluguel aumentam, não é incomum haver mais procura do que oferta do serviço. A mais de 700km do bairro do Recife, onde se concentram os pontos de aluguel da capital, a cidade de Petrolina, no semiárido pernambucano, possui sistema semelhante desde novembro de 2011. No município do sertão foram instaladas três estações, com dez bicicletas cada. Atualmente, todas estão desativadas.

Segundo a Prefeitura de Petrolina, o projeto foi levado adiante por causa da busca por um “modo simples e integrado para se deslocar com facilidade de um ponto a outro”, sendo como adicional a bicicleta ser um transporte não-poluente e que une saúde, praticidade e satisfação para o usuário. Apesar disso, moradores reclamam da falta de infraestrutura para ciclistas. Aldo Vasconcelos, responsável por campanha a favor da implantação de mais ciclovias na cidade, diz que quem chega em Petrolina “se engana” ao avistar as vias cicloviárias existentes. “Há duas delas, bem sinalizadas, que cortam a Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio e Avenida da Integração. Tem-se a sensação de que elas se espalham e a cidade é bem servida, mas isso é puro engano. Bairros populosos como São Gonçalo, João de Deus e diversas Cohabs não possuem ciclovia”.

Aldo afirma que um dos problemas da cidade é a falta de conscientização e educação dos que fazem parte do trânsito. “Caminhoneiro usa sua força em cima de carro de médio e pequeno, que fazem o mesmo com motociclistas, estes com ciclistas, estes com pedestres...”. Miro Souza, ciclista e morador da cidade, repete uma reclamação escutada em diversas grandes cidades brasileiras. “Motoristas não respeitam os ciclistas aqui na cidade”. Em relação ao projeto de bicicletas de aluguel, Aldo Vasconcelos fala que o serviço foi bem divulgado. Atualmente, as estações de aluguel, que estão desativadas, estão localizadas na Av. Cardoso de Sá, na Praça Dom Malan e na Praça Pio XII. “Mas aqui predomina uma cultura em que ser bem-sucedido está ligado a ter um carro”. Miro tem pensamento semelhante. “As pessoas preferem estar dentro de um carro do que numa bicicleta durante o dia. A noite existem muitas pessoas andando de bicicleta, mas como esporte, para perder calorias. Para mobilidade mesmo, é raro”.

Como ação de melhoria para o ciclista petrolinense, Aldo Vasconcelos acredita no investimento em transporte público. “O sistema coletivo é horrível. As pessoas desesperadas compram carros e motos. Há trajetos que se feitos de bicicleta duram 20 minutos, enquanto de ônibus chegam a durar uma hora. Se melhorasse o transporte coletivo e criassem vias exclusivas para ônibus, muitas pessoas iriam de ônibus e haveria menos trânsito e mais bikes nas ruas”. Miro Souza pensa na construção de mais ciclovias e na arborização das existentes, o que minimizaria os efeitos do clima semiárido. “E para melhorar mesmo, um projeto de educação no trânsito”.

Apesar disso, a Prefeitura de Petrolina classifica a aceitação do projeto, realizado em parceria com a empresa Serttel, como positiva. É esperado pela gestão uma aderência maior ao programa, devido ao hoje mais compreendido conceito da bicicleta como meio de transporte. Com sistema semelhante ao adotado no Recife, após a reformulação do sistema de aluguel, o projeto será integrado com o sistema de bilhetagem eletrônica de transporte publico. Os preços anteriores eram R para o passe diário e R para o mensal.

É ressaltado também o sistema de autoatendimento presente nos aplicativos disponíveis para as plataformas iOS e Android, que contará com acesso em tempo real às informações do programa. Enquanto ações para incentivar o uso do modal, a Prefeitura da cidade cita planos de melhorias das ciclovias e da malha viária existente, além da continuidade do projeto “Domingo na Orla”, quando uma faixa da Avenida Cardoso de Sá, na orla, é interditada para veículos motorizados, dando espaço para ciclistas e formas não-motorizadas de vivência da cidade.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas